quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Mentirosos by E. Lockhart - Resenha

(imagem da internet)


Nasceu em Nova York e fez doutorado em literatura inglesa na Universidade Columbia. Deu aulas de redação, literatura e escrita ativa. Seus livros já foram traduzidos para mais de dez idiomas. É autora de Dramarama, The Boyfriend List e Fly on the wall, e coautora de How to Be Bad, com Lauren Myracle e Sarah Mlynowski.
No Brasil foram lançados os livros O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks (2013) e Mentirosos (2014), ambos pela Editora Seguinte.









 

Sobre o livro
(imagem da internet)


Sinopse:
Na família Sinclair, ninguém é carente, criminoso, viciado ou fracassado. Mas talvez isso seja mentira.
Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.
Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

 

“Emocionante, bonito e devastadoramente inteligente, ‘Mentirosos’ é absolutamente inesquecível.”
(John Green, autor de “A Culpa É Das Estrelas”)




Sim, enfim eu li Mentirosos... li sem ver sinopse nem resenha para não criar expectativas, apenas assisti vários vídeos de alguns booktubers e fiquei instigada pela história misteriosa pela qual todos, sem exceções, se sentiram surpreendidos.

A família Sinclair é uma típica família tradicional americana, milionária, onde todos dependem da fonte de renda de um único mantenedor, no caso, o avô de Cadence. São ricos, bonitos, atléticos, loiros e altos... e claro, vivem das aparências sociais. Eles passam seus verões em uma ilha particular, onde cada uma das três irmãs (Bess, Penny e Carrie) tem sua própria casa, totalmente pronta para essa temporada. Os avós, Harry e Tipper são os mantenedores da família e é deles a casa principal da ilha.

Temos também Cadence, Mirren, Jonnhy (os três primos) e Gat (amigo de Jonnhy), jovens todos da mesma idade, que a partir dos 8 anos começam a se encontrar na ilha para a temporada de verão; eles se entitulam Os Mentirosos. Gat se torna um personagem importante na vida de Cadence, aos quatorze anos ela se descobre apaixonada pelo seu melhor amigo e o fato de estarem juntos é algo mágico para ela, algo que por si só basta para sua felicidade.

Porém, no verão dos quinze anos dos jovens, a estadia se torna um pouco mais complicada pois um dos familiares morre e isso desestrutura a família, gerando brigas e muitas desavenças entre as irmãs. Isso afeta diretamente esses quatro jovens que veem sua estrutura familiar ruindo em consequência de dinheiro, herança e poder. Neste cenário ocorre um acidente e a partir daí, Cadence perde a memória, não lembrando de absolutamente nada referente ao acidente ou o que tenha acontecido depois. Ela fica dois anos afastada da ilha, tentando se recuperar de fortes enxaquecas mas, aos dezessete anos, resolve voltar à ilha e encontrar o restante de sua família, tentando recuperar sua memória. A partir deste momento, o suspense e o mistério é parte indispensável da história.

A leitura fluiu, terminei em 4 dias (poderia ter lidos em algumas horas mas interrompi propositalmente em alguns momentos para analisar e refletir sobre o que havia lido) e confesso... no final do capítulo 15 eu já havia deduzido parte da verdade.... mas isso, de forma alguma tornou a leitura menos interessante ou me fez perder a sensação de mistério. A todo momento me questionei se era aquilo mesmo que eu havia pensado... uma parte era mas o final foi surpreendente da mesma forma.

A autora nos deixa várias pequenas pistas no decorrer da leitura, vários sinais do que realmente está acontecendo com Cadence... mas a causa da amnésia, o acidente de fato, as consequências do que aconteceu... ah, isso ela conseguiu deixar no suspense, ao menos para mim. Emily Lockhart tem uma escrita envolvente, cheia de frases marcantes e em alguns momentos utiliza uma linguagem poética para citar sentimentos e emoções de Cadence, uma jovem sensível e emotiva. Assim como os sentimentos de Cady, a leitura em alguns momentos se torna derramada em versos. Ela consegue colocar em palavras (a história é toda narrada em primeira pessoa por Cady) todas as dúvidas, conflitos e emoções que a protagonista passa em sua adolescência totalmente conturbada pela amnésia, pelas insistentes enxaquecas... tudo nela é à flor da pele... tanto o amor quanto a dor. 

A escrita desta autora me cativou e me encantou (tanto que vou correr procurar Histórico Infame de Frankie Landau-Banks  para emendar a leitura – são livros independentes).

Terminei o livro a exatos 10 minutos e vim correndo escrever sobre ele.... para mim foi uma leitura marcante e fiquei receosa de não conseguir fazer a resenha se esperasse muito, estou tentando evitar uma ressaca literária! Mas, como intercalei a leitura com um clássico, creio que não terei grandes problemas em superar o choque (positivo!) que esta história me causou.

 

Nenhum comentário: